Lisboa Boémia: Que segredos encerra a Lisboa dos anos 20?

lisboa-boemia

A Lisboa Boémia dos loucos anos 20, do foxtrot e do charleston, marcou uma geração e deixou marcas na essência da capital que me viu nascer. Por isso, não posso falar do livro “Os loucos anos 20. Diário da Lisboa Boémia”, de Paula Gomes Magalhães, sem escrever algumas palavras, em jeito de introdução.

O que dizer sobre este livro?! A partilha da opinião que faço sobre ele acontece com o coração aindaa aquecido por todos os factos históricos que li em “Os loucos anos 20”. Sou sou nascida e criada em Lisboa, apaixonada pela minha Lisbonita e, por isso, li este livro com a maior curiosidade do mundo, ansiosa por poder ver descritos no livro locais que conheço desde sempre ou de que já ouvi falar. Falar da Lisboa Boémia é falar, inevitavelmente, do Chiado e de tudo o que ele encerra, como as suas maravilhosas livrarias e recantos de promoção da cultura. O que nos promete este livro? Deixo-te aqui a sua sinopse:

O mundo respirava de alívio. Saída da grande guerra, ao ritmo de charlestons e foxtrots, a Europa vivia um período de otimismo, esperança, progresso e de alguma excentricidade. E Portugal não queria ficar de fora destes loucos anos 20. O país vivia uma profunda crise política, com os governos a sucederem-se a um ritmo de semanas ou até mesmo dias, e uma crise social e económica. Portugal estava à beira da bancarrota, com uma população analfabeta, a viver sem condições, sem trabalho e dinheiro para os bens essenciais. Acentuava-se o fosso entre os ricos e os pobres. Nas ruas de Lisboa, a sociedade mundana desfilava liberdade e elegância: cortes de cabelo à garçonne, os mais recentes modelos vindos de Paris, automóveis cada vez mais velozes. Assistia a corridas de cavalos no hipódromo, praticava desporto, lanchava nas mais conceituadas pastelarias, frequentava cafés e vivia devotada às últimas novidades do lazer e diversão, como o telefone ou a máquina fotográfica, sem esquecer os eletrodomésticos que agilizavam a vida de todos os dias. De noite, frequentava clubes e cabarets requintados, onde a música e a dança se misturavam com o jogo, o fumo e o álcool até ao romper da madrugada. A investigadora Paula Gomes Magalhães traça neste livro, amplamente ilustrado, o retrato vivo da mais louca e veloz década de que há memória.

Vamos agora à minha opinião sobre o livro?!

 

Lisboa Boémia: Terminar um livro com o coração quente com a história da minha cidade

Falar de uma cidade, principalmente se for capital de um país, é sempre um desafio interessante e que deve colocar à prova qualquer investigador ou escritor. Trate-se de um livro de ficção ou de não-ficção, falar de uma cidade que preenche o coração e alma de tantas pessoas deve ser um desafio enorme e deve ser de grande responsabilidade para quem escreve.

Paula Gomes Magalhães é uma clara apaixonada pela arte, pela cultura e pela história de Lisboa da época dos anos 20 e da Belle Époque, reflexo que se vê nos diversos livros e estudos que já publicou. O seu espírito crítico e artístico reflete-se na organização do livro, pincelado com inúmeras imagens, retratos e ilustrações que apenas torna a experiência de submergir na Lisboa dos anos 20 muito mais rica, mais intensa e que quase se nos entranha na pele e nos dá vontade de começar a dançar ao som do foxtrot e de todas as melodias desta fase do pós-Primeira Guerra Mundial. A ânsia de viver sentida por todos ao longo do continente europeu a recuperar de um conflito intenso sentia-se também entre os portugueses: “Quando da grande guerra, o poilu internacional, que vinha a Paris passar a permission, procurava com uma colossal ânsia de viver, nas poucas horas de descanso, aturdir-se numa atmosfera de luxo e prazer apagando assim as ideias negras que a vida arriscada de trincheira lhe faziam naturalmente sugerir” (pág. 9).

Para a Lisboa boémia dos anos 1920, as noites de espectáculo eram apenas o aperitivo, a nota introdutória de uma madrugada que se queria longa, animada e frenética” (pág. 197)

Apesar de toda a vida que circulava intensamente pelas ruas e vielas desta Lisboa boémia, a sombra dos anos vindouros começava já a fazer sentir-se. Primeiro, o golpe de Maio de 1926 a que se seguiu o início da caminhada de António de Oliveira Salazar em direcção ao poder, começavam a marcar um passo mais lento, menos louco e menos movido a danças sem fim nos diversos clubes que floresciam nos mais diversos recantos da capital.

Tal como acontecera noutros países da Europa, Portugal mergulhava na escuridão de um regime nacionalista, que se intensifica, já durante a década de 1930, quando António de Oliveira Salazar – homem forte das Finanças e arquitecto do equilíbrio orçamental- chega a chefe de Governo e faz aprovar uma nova Constituição, estabelecendo os princípios do Estado Novo” (pág. 14)

Esta é a capital dos marinheiros, das coristas, do jogo clandestino, do primeiro Código da Estrada criado em 1928, da emancipação crescente das mulheres e do aparecimento de um pó mágico nos corredores dos clubes que viria a dar origem à expressão da “maldita cocaína”, ao que parece introduzida em Lisboa por uma parisiense que ninguém deixava indiferente. E é todo este reboliço que se sente ao longo das páginas deste livro. A leitura torna-se bastante fluída, sem maçar e muito bem documentada pelo abrangente acervo fotográfico que surge ao longos de todo o livro. Todas estas fotografias, excertos de jornais e de revistas e ilustrações mostram bem como pulsava a vida desta Lisboa boémia que despertava para outros tipos de interesses e se tentava, cada vez mais, posicionar como centro cosmopolita afastado do Portugal rural, preso às tradições e que só se viria a acentuar nas décadas seguintes. Gostei muito da grande variedade de fontes citadas ao longo de todo o livro, demonstrando a grande profundidade da pesquisa realizada pela autora e permitindo-nos, se assim o desejarmos, saber mais ao consultar essas fontes que surgem enumeradas no final do livro.

Enquanto lia este livro, facilmente me consegui ver transportada para locais tão emblemáticos de Lisboa como o Chiado, a rua Garret e os seus locais obrigatórios de paragem como a Brasileira ou a loja Paris em Lisboa que ainda hoje marca posição destacada entre as demais, a Trindade, o Rossio, a Avenida da República que abria caminho para o Parque Mayer já ali ao lado. A descrição do aparecimento do teatro de revista, tão nosso, ajuda-nos a compreender a importância desta forma de expressão artística e o valor que tem para a nossa cultura e para a nossa essência de povo preso ao Fado mas sempre disposto a atirar uma farpa certeira a quem pisasse o risco.

Este é um livro especial, por toda a experiência que nos proporciona, pelas conversas que permite ter com outros familiares que conheçam Lisboa e que permitem ver que a nossa Lisbonita foi sempre um porto de abrigo e um centro activo de divertimento para quem por cá passava. Acho que a autora conseguiu uma bonita homenagem a uma Lisboa de outros tempos que, mesmo que não nos apercebamos disso à primeira vista, tem muito mais a ver com a Lisboa dos dias de hoje do que podemos pensar. A autora está de parabéns por toda a sua pesquisa e por nos mostrar uma Lisboa cheia de vida, uma “menina e moça” com vontade de se destacar e de ser a mais bonita de todas!

 

Outras sugestões de leitura

Se gostas de saber mais sobre a história de Lisboa e de Portugal, não podes deixar de ler o livro “A noite passada”, de Alice Brito. Este foi o livro do mês de Maio do Clube Leituras descomplicadas e transporta-nos até Lisboa e Setúbal do Estado Novo. Se gostas de romance histórico, este é o livro certo para ti!

 

O livro “Os loucos anos 20. Diário da Lisboa Boémia” foi-me gentilmente cedido pela Planeta de Livros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Utilizamos cookies para personalizar o conteúdo disponibilizado e os anúncios, para fornecer funcionalidades nas redes sociais e para analisar o nosso tráfego. Também partilhamos informações sobre a sua utilização do nosso site com os nossos parceiros de redes sociais, publicidade e Google Analytics. View more
Cookies settings
Aceitar
Privacy & Cookie policy
Privacy & Cookies policy
Cookie name Active

Política de privacidade para Leituras descomplicadas

As informações pessoais recolhidas através de formulários de contacto, caixas de comentários, passatempos ou subscrições são utilizadas pelas LEITURAS DESCOMPLICADAS para nos ajudar a melhorar a sua visita ao nosso site, tornando-a o mais produtiva e agradável possível. Todos os aspectos relacionados com a garantia da confidencialidade dos dados pessoais dos utilizadores do nosso site são muito importantes para as LEITURAS DESCOMPLICADAS.
O uso das LEITTURAS DESCOMPLICADAS pressupõe a aceitação desta política de privacidade, reservando-se a equipa das LEITURAS DESCOMPLICADAS de alterar este acordo sem aviso prévio.
 

Quem somos?

O endereço do nosso site é https://www. leiturasdescomplicadas.pt. LEITURAS DESCOMPLICADAS é um blog literário dedicado à partilha de sugestões de leitura para miúdos e graúdos. Esta partilha ocorre através de artigos de opinião sobre livros, destaques de novidades editoriais, entrevistas a autores, clube e projectos de leitura, entre outras iniciativas.  

Dados recolhidos

Formulário de registo no website - quando um utilizador se regista em https://www.leiturasdescomplicadas.pt, seja pelo preenchimento de formulário ou através de login com a sua conta de Facebook, Google ou Linkedin, são recolhidos dados pessoais como nome, email, localização, entre outros. Formulários de contactos ou comentários - quando um utilizador preenche um formulário de contacto ou deixa um comentário no nosso site, são recolhidos os dados exibidos no formulário e também o endereço de IP do visitante. Passatempos - quando é realizado um passatempo é solicitado o preenchimento de um formulário com dados do utilizador, como nome, email, nomes de utilizador de redes sociais, localização, entre outros. Cookies - Os cookies são curtos ficheiros de texto com informações relevantes que o seu browser processa, quando um site é visitado por um utilizador. Utilizamos cookies para armazenar informação, tais como as suas preferências pessoais, quando visita o https://www.leiturasdescomplicadas.pt. A colocação de cookies ajuda o site a reconhecer o dispositivo (tablet, desktop, mobile, etc) do utilizador sempre que nos visita. Os cookies retêm apenas informação relacionada com as suas preferências, não revelando dados pessoais.
  • Quando deixa um comentário no nosso site, pode optar por guardar o seu nome, endereço de email e site nos cookies. Isto é para sua conveniência para não ter de preencher novamente os seus dados quando deixar outro comentário. Estes cookies durarão um ano.
  • Se visitar a página de início de sessão, será configurado um cookie temporário para determinar se o seu navegador aceita cookies. Este cookie não contém dados pessoais e será eliminado ao fechar o seu navegador.
  • Ao iniciar a sessão, serão configurados alguns cookies para guardar a sua informação de sessão e as suas escolhas de visualização de ecrã. Os cookies de início de sessão duram um ano. Se seleccionar "Lembrar-me", a sua sessão irá persistir durante duas semanas. Ao terminar a sessão, os cookies de inicio de sessão serão removidos.
Google Analytics - Usamos o Google Analytics para registrar informações sobre as páginas que um utilizador viu, por exemplo, o URL da página, a hora do dia, o dispositivo usado, etc. As informações que coletamos são anonimizadas e enviadas ao Google Analytics para análise. O Google Analytics usa principalmente cookies primários para informar sobre as interações dos visitantes neste site. Os utilizadores podem desativar os cookies ou excluir qualquer cookie individual. O Google Analytics também coleta endereços IP para fornecer e proteger a segurança do serviço e para dar aos proprietários de websites uma noção de que país, estado ou cidade do mundo os utilizadores são provenientes (também conhecido como “geolocalização por IP” ). Os dados do Google Analytics são retidos por 38 meses.
 

Porque está a receber emails nossos?

Ao registar-se no nosso website, preencher um dos formulários de contacto do website, participar num dos passatempos realizados no website, no Facebook (/leiturasdescomplicadas) ou no Instagram (@leiturasdescomplicadas), os dados fornecidos serão usados para comunicação da marca, via email.  

Ligações a sites de terceiros

O LEITURAS DESCOMPLICADAS possui ligações para outros sites, os quais, a nosso ver, podem conter informações / ferramentas úteis para os nossos visitantes. A nossa política de privacidade não é aplicada a sites de terceiros, pelo que, caso visite outro site a partir do nosso deverá ler a política de privacidade do mesmo. Não nos responsabilizamos pela política de privacidade ou conteúdo presente nesses mesmos sites.
 

Como utilizamos os seus dados?

Utilizamos os seus dados para:
  • Operar e manter o website
  • Fornecer informação e conteúdo de interesse para o utilizador
  • Melhorar o funcionamento do website, incluindo a gestão e priorização de conteúdos
  • Adicionar à nossa mailing list para comunicar produtos e/ou serviços relacionados com LEITURAS DESCOMPLICADAS ou enviar conteúdo útil relacionado com as temáticas abordadas no site
  • Fornecer suporte ou apoio ao utilizador
  • Entregar prémios aos vencedores de passatempos
  • Cumprir obrigações contratuais e legais
Em nenhum momento fornecemos os seus dados a empresas externas ou os utilizaremos para qualquer efeito que não os descriminados acima.
 

Por quanto tempo guardamos os seus dados?

Salvo raras exceções de tempo mais curto, como por exemplo o Google Analytics, os seus dados são mantidos indefinidamente.

Quer eliminar ou alterar os seus dados?

A qualquer momento poderá solicitar-nos que alteremos ou eliminemos os seus dados. Para isso basta enviar-nos um email para ola@leiturasdescomplicadas.pt.
Save settings
Cookies settings