“Filhas de uma nova era”: O século XX no feminino

filhas-de-uma-nova-era

“Filhas de uma nova era”, de Carmen Korn

(Link WOOK)

 

“Filhas de uma nova era” é o primeiro livro da trilogia Jahrhundert (“Século” em português) de Carmen Korn, autora alemã nascida em Dusseldorf em Novembro de 1952. Neste primeiro volume, Henny, Kathe, Ida e Lina entram, pela primeira vez, nas nossas vidas. Com histórias de vida entrelaçadas no período entre o final da Primeira Guerra Mundial e do final da Segunda Guerra Mundial, tem-se um olhar para a realidade europeia da primeira metade do século XX. Como sabes, perco-me por um bom romance histórico e ler “Filhas de uma nova era” revelou-se ser mais do que a história de quatro mulheres em épocas tão conturbadas. Queres conhecer a minha opinião sobre esta leitura?!

 

“Filhas de uma nova era”: O que podes encontrar neste livro?

filhas-de-uma-nova-era

Carmen Korn olha para a realidade da primeira metade do século XX atribuindo a quatro mulheres os papéis principais desta história. Henny e Kathe são amigas de infância e fazem percursos profissionais paralelos como parteiras, não deixando do seu interior ser o mais afastado que podemos pensar. Ida é a típica menina da alta sociedade, para quem as aparências valem tudo e um compromisso familiar moldará toda a sua história durante a maior parte deste livro. Por último, surge Lina, a professora a quem a profissão impede de sonhar com um percurso familiar como o das suas amigas. Aparentemente tão diferentes, mas ditará o destino que as suas histórias se vão intercruzado e adensando os laços ao longo de toda a narrativa.

A autora escreve de uma forma bastante fluída, envolvente mas ao mesmo tempo bastante pragmática. Fornece um olhar bastante directo, algumas vezes cru, da realidade da sociedade de Hamburgo dos anos 20, 30 e 40 do século XX. Provavelmente fruto da sua formação como jornalista, pressente-se o trabalho de investigação que existiu por detrás da escrita deste livro. Mas sente-se também uma extraordinária capacidade de escrita, de produção de fios condutores de histórias paralelas sem que deixem de fazer sentido. Neste livro, encontras-, sem qualquer margem de dúvida, uma escrita muito envolvente, ao mesmo tempo que consegues fazer um retrato sociológico e histórico do que foi a Alemanha nesses anos.

Deixo-te aqui a sinopse para despertar a curiosidade:

A história emocionante de quatro mulheres que enfrentam juntas as suas próprias batalhas Hamburgo, 1919. A Primeira Guerra Mundial acabou e a cidade começa agora, finalmente, a despertar. Henny e Käthe, amigas desde a infância, sonham tornar-se parteiras e acabam de iniciar a sua formação. Henny deseja deixar de viver na sombra da mãe, e a rebelde Käthe, convicta comunista, está apaixonada por um jovem poeta. Outras duas mulheres se cruzarão nos seus caminhos: Ida, rica e mimada, filha de um importante empresário falido que pretende casá-la com um herdeiro rico; e Lina, uma jovem e humilde professora, que guarda um segredo do passado. As quatro amigas tornam-se inseparáveis e, apesar das suas diferenças, crescem e enfrentam juntas os golpes e as alegrias do destino, a transformação do mundo, o fim das liberdades e a chegada da terrível ameaça nazi. Grandes e pequenos feitos que ficarão para sempre ligados pelo elo da amizade. Filhas de uma Nova Era é a primeira parte de uma emocionante saga sobre liberdade, amor e coragem que através de uma geração de mulheres que não se deixou arrastar pelas circunstâncias que lhes calharam em sorte, nos narra a fascinante história do século XX.

 

“Filhas de uma nova era”: O que senti ao ler este livro?

Conheço uma médica que acaba de ter k segundo filho – comentou – e no entanto continua a trabalhar na clínica. Digo às minhas alunas que não têm por que renunciar à sua profissão por causa dos filhos. As mulheres deviam não só poder escolher, como também poder conciliar ambas as vidas” (pág. 79)

Um dos aspectos de que mais gostei neste livro foi, sem dúvida, o retrato sociológico, a abordagem à perspectiva de género e a reflexão sobre a relação entre o trabalho e a família que eles nos permite. As diferenças entre a sociedade retratada neste livro e a actual são claras. Tendo “Filhas de uma nova era” como personagens principais mulheres, seria inevitável que a reflexão sobre a condição da mulher na primeira metade do século XX não fosse uma constante em toda a narrativa. Pensar que ser-se professora, implicava não se poder casar e ter uma disponibilidade permanente para a profissão (tal como acontecia por cá com várias profissões), fez-me pensar no quanto a realidade mudou… Ainda que continuem a existir graves problemas de género, hoje em dia, uma mulher já pode ambicionar ter qualquer profissão sem que isso signifique não poder casar ou ter filhos. E por falar em ter filhos… A visão que Korn nos dá da maternidade, através dos episódios com Henny e Kathe, mostram o quanto também mudou a este nível. Não só ao nível dos cuidados pré-natais e das condições das maternidades, mas também ao nível da contracepção (e de a mulher não recear assumir que a usa) e da opção consciente de se não ter filhos. Parabéns à autor por trazer este assunto a lume num romance histórico mostrando algo claro: o corpo da mulher é seu e a decisão daquilo que se passa com ele deve ser apenas dela.

A introdução do tema da homossexualidade convida igualmente à reflexão… Bem como as relações entre pessoas de raças diferentes. Será que, passados cerca de 100 anos sobre os acontecimentos relatados no livro… Somos mesmo uma sociedade que aceita sem preconceito estas realidades?! Tenho as minhas séries dúvidas… Penso que somos muito de assobiar para o lado enquanto não se passa no nosso “quintal”. No dos outros, somos super abertos e mentes avançadas… Acho que o assunto foi muito bem abordado, tocando nos aspectos essenciais para despertar a reflexão, sem chocar mas também sem esconder com essas relações verdadeiramente significavam para as personagens e para as pessoas à sua volta.

Depois e inevitável…  Gostei da forma como foi abordada a ascensão de Hitler e do Nazismo. Apesar de se falar de momentos marcantes e que é impossível ficar indiferente, como é o caso da Kistallnacht (ou noite dos cristais, ocorrida entre 9 e 10 de Novembro de 1938, a forma como são abordados é diferente. Carmen Korn conta-nos esses acontecimentos segundo a lente humana. A de quem perde tudo, a de quem se vê humilhado apenas por ser judeu. A de quem toma a decisão consciente de terminar com a sua vida porque sabe que o futuro nada de bom lhe reserva. Foi isso que senti ao ler como a entrada do Nazismo nas vidas de Henny, Kathe, Ida e Lina: um profundo sentimento de humanidade e de respeito pelo ser humano. Sem ser demasiado gráfica, violenta ou escrevendo “mais do mesmo”, Korn conseguiu descrever os anos da guerra de uma forma diferente e de que gostei bastante. Foram mais importantes as emoções, as opções de vida e as decisões do que o avançar dos militares ou as estratégias de ocupação da Europa. Profundamente tocante esta abordagem a um dos períodos mais negros da História Mundial. E claro, porque é um aspecto menos falado, gostei da introdução – através da personagem de Rudi – dos campos de concentração soviéticos. Um aspectos histórico que gostaria de explorar mais em outras leituras para compreender a dimensão do outro lado do muro.

 

“Filhas de uma nova era”: O Resumo Da Minha Opinião

filhas-de-uma-nova-era

  • A escrita directa, pragmática e assertiva mas ao mesmo tempo muito envolvente de Carmen Korn permitiu-me sentir abraçada por este livro e entrara facilmente nas histórias de vida das quatro personagens centrais.
  • A dimensão dos capítulos, relativamente reduzida e com separação gráfica entre os momentos de narrativa de cada uma das personagens permite um fluxo de leitura sereno mas cativante ao mesmo tempo.
  • A descrição da sociedade da época e da condição da mulher nessa sociedade, nas suas diferentes vertentes de mulher, mãe, relação entre família e trabalho e sexualidade, revelam um profundo trabalho de investigação ao mesmo tempo que nos desperta a consciência para a reflexão sobre a perspectiva de género sempre tão actual.
  • A capa da edição portuguesa (similar à original) é muito bonita e transporta-nos imediatamente para as conversas entre amigas em que se partilham amores e ódios, alegrias e tristezas, sem pudores ou segredos.

 

Detalhes Do Livro:

Título: Filhas de uma nova era (título original: Töchter einer neuen Zeit), primeiro volume da trilogia Jahrhundert

Autor: Carmen Korn

Editora e data de publicação: Editorial Planeta, Abril de 2021

Encadernação: capa mole

Páginas: 488

Classificação temática: Literatura – Romance

Classificação Goodreads: 3,89

 

Este livro foi gentilmente cedido pela Editorial Planeta e foi lido no âmbito da leitura conjunta realizada com a Livros e Papel, Books of Bela e The door to a better world

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *