Holocausto: Qual o verdadeiro significado da Shoá para a humanidade?

shoa

Ler sobre o Holocausto, ou Shoá, em Portugal é, obrigatoriamente, ler livros da Professora Irene Flunser Pimentel. Uma investigadora do Estado Novo e do Holocausto, possui uma vasta obra publicada e já tive o privilégio de a entrevistar e podes ler essa entrevista aqui. Com o primeiro mês do ano do Clube de Leitura dedicado a assinalar o Dia em Memória das Vítimas do Holocausto, impunha-se a leitura deste livro. A leitura deste livro foi, para mim, profundamente enriquecedora. Permitiu-me descobrir sobre o verdadeiro significado da Shoá, as suas consequências que se perpetuam no nosso presente e qual foi o verdadeiro papel de um Portugal neutral na Segunda Guerra Mundial. E aqui partilho hoje contigo a minha review sobre o livro. Já conhecias o livro “Holocausto” de Irene Flunser Pimentel?

 

Shoá: Qual o percurso da autora até chegar a este livro?

Ao ler o livro “Holocausto” senti que este era o livro que faltava, escrito por um português, sobre este tema. A Professora Irene Flunser Pimentel é uma autora que dispensa apresentações. Historiadora portuguesa nascida em 1050, tem dedicado a sua carreira como investigadora ao período contemporâneo de Portugal, focando especialmente o Estado Novo e a PIDE, destacando-se os seus livros “O Caso PIDE/DGS” (2017), “História das organizações femininas do Estado Novo” (2000) e “Cardeal Cerejeira, o Príncipe da Igreja” (2010). Tem ainda um conjunto alargado de livros publicados focando o Holocausto e o papel de Portugal nesta fase dramática da História Mundial, como são exemplos “Salazar, Portugal e o Holocausto” (em co-autoria, 2012), “O comboio de Luxemburgo” (em co-autoria, 2016) e “Espiões em Portugal durante a II Guerra Mundial” (2013). Estamos perante uma especialista nesta época e neste tema e é muito positivo vermos um livro que resulta de uma profundíssima investigação e reflexão de uma autora portuguesa sobre uma época sobre a qual os livros são de autores estrangeiros (também, na minha opinião, muito fruto de não termos tido esta guerra dentro de portas e a termos vivido à sombra de uma neutralidade mais ou menos confortável).

 

Shoá: Como está organizado este livro?

Este livro encontra-se dividido em duas partes. A primeira é dedicada à elucidação do significado da Shoá (aquela que a autora prefere ainda que menos conhecida no nosso país). No primeiro capítulo da primeira parte, são apresentadas as seis palavras essenciais para a compreensão desta guerra e do que foi a Shoá: extermínio, genocídio, holocausto, hurbn, “solução final da questão judaica” e shoá. Concretamente, este último termo não possui qualquer conotação religiosa e tem a vantagem de “restituir a palavra às vítimas, através de um significado da língua original judaica” (pág. 32) e que surgiu nos ano 30 do século XX, referindo-se ao genocídio de judeus em França. Tem o duro significado de “aniquilamento, ruína, desolação, calamidade, tumulto, catástrofe ou grande desastre” (pág. 32), reunindo em quatro letras a crueldade que for perpetrada contra judeus, ciganos, homossexuais, comunistas e tantas minorias na Europa debaixo da suástica nazi. Esta primeira parte descreve ainda as diferentes etapas da Shoá (janeiro de 1933-agosto de 1941, para as primeiras três etapas, e setembro de 1941-verão de 1944, com a última etapa). Fala, ainda, sobre os campos de concentração e os centros de morte nazi (trazendo à luz a explicação do motivo pelo qual temos tantos relatos de sobreviventes de Auschwitz e não acontece isso quanto a Treblinka ou Sobibor) e a reflexão sobre o conhecimento gradual dos crimes nazis a nível internacional e a forma como a justiça internacional os encarou. A segunda parte é totalmente dedicada a descrever o lado português desta fase negra da História, o papel de Salazar e do Estado Novo e a forma como o nosso corpo diplomático espalhado pela Europa se comportou, permitindo salvar milhares de judeus.

 

Shoá: A minha opinião sobre o livro “Holocausto”

Posso dizer que gostei bastante deste livro. Quem esteja à espera de um livro com pouca profundidade e densidade de informação, este não é o livro certo para ti. Mas se, pelo contrário, gostas de um livro que te traz a agregação de muitas e inúmeras fontes de informação, que te dê aquele sentimento de vasculhar nos arquivos sobre a História do nosso país e da Europa e se gostas de uma boa investigação histórica feita de forma sustentada em factos e evidências, tens mesmo de ler este livro. Ainda que a primeira parte do livro possa ter informação que é mais do conhecimento para quem já está habituado a ler sobre a Segunda Guerra Mundial e o Holocausto, é na segunda parte que reside a maior atratividade do livro para mim.

A segunda parte explora o papel que Portugal teve, no meio da sua “neutralidade” face ao conflito mundial e a forma como o Estado Novo e a sua estrutura ministerial teve um importante papel a dizer no salvamento dos milhares de judeus que pediam um documento que lhes permitisse sair dos países ocupados onde residiam. Percebe-se que Aristides de Sousa Mendes não caminhou só no seu papel de cônsul com profundo sentimento de preservação dos direitos humanos. Com a profunda descrição que este livro nos apresenta, percebe-se que as decisões do Estado Novo, em andar na corda bamba entre o longo acordo de amizade com Inglaterra e a eventual proximidade daquilo que Alemanha vendia ao mundo como ideologia, se traduziu em muitas formigas a trabalhar no interior do Regime contra essas decisões, mesmo que isso pudesse colocar em causa as suas vidas e as suas carreiras. Percebe-se que os olhos fechados e a indiferença mascarada de neutralidade não conseguiu apaziguar os ânimos de quem se sentia revoltado com as inúmeras notícias que iam circulando sobre os campos de concentração e os centros da morte e fez realmente alguma coisa para lutar contra isso.

Um livro como este já se impunha, mostrando que o Holocausto é muito mais que Auschwitz e que, apesar dos cerca de 3300 km que nos afastam desse local em Oswiecim, na Polónia, Portugal teve um papel muito mais tendencioso do que neutral neste conflito e nesta solução final. Altamente recomendado este livro a quem quiser saber mais sobre o Holocausto e sobre os meandros do Estado Novo. Um dos melhores livros que li até agora este ano.

 

“Holocausto”: O resumo da minha opinião

O que mais gostei neste livro?

  • A investigação alicerçada num conjunto bastante robusto de evidências históricas e de documentos, demonstrando a profundidade da investigação histórica que foi realizada para a escrita deste livro.
  • A apresentação de diferentes quadros com as estatísticas dos campos de concentração e centros de morte. Sendo eu da área das ciências exactas, ver os dramáticos números plasmados desta forma é, ao mesmo tempo, assustador e profundamente esclarecedor da dimensão do que foi a Shoá e o do seu impacto na Humanidade.
  • A capa, um emaranhado de arame farpado mas esbatido… Para mim, uma boa representação daquilo que a Solução Final foi para muitas pessoas, em particular para os portugueses sob a sombra do Estado Novo: algo enevoado, a que não queremos dar relevância mas que não é por isso que perde o seu carácter profundamente aglutinador, aprisionando alma e corpo.
  • O tamanho de letra da edição não compromete a leitura, algo que poderia acontecer caso fosse utilizado um tamanho de letra mais pequeno.

O que menos gostei neste livro?

  • Na segunda parte do livro, com a dimensão de personalidades do corpo diplomático português que iam sendo introduzidas e com a descrição quase minuto a minuto dos acontecimentos, senti-me um pouco perdida. Mas nada que não ficasse resolvido, voltando algumas páginas atrás.

 

Detalhes do livro:

Título português: “Holocausto”

Autor: Irene Flunser Pimentel

Editora e data de edição: Temas e Debates, setembro de 2020

Encadernação: capa mole

Páginas: 592

Classificação temática: História – História em geral

Classificação Goodreads: 4.00

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Utilizamos cookies para personalizar o conteúdo disponibilizado e os anúncios, para fornecer funcionalidades nas redes sociais e para analisar o nosso tráfego. Também partilhamos informações sobre a sua utilização do nosso site com os nossos parceiros de redes sociais, publicidade e Google Analytics. View more
Cookies settings
Aceitar
Privacy & Cookie policy
Privacy & Cookies policy
Cookie name Active

Política de privacidade para Leituras descomplicadas

As informações pessoais recolhidas através de formulários de contacto, caixas de comentários, passatempos ou subscrições são utilizadas pelas LEITURAS DESCOMPLICADAS para nos ajudar a melhorar a sua visita ao nosso site, tornando-a o mais produtiva e agradável possível. Todos os aspectos relacionados com a garantia da confidencialidade dos dados pessoais dos utilizadores do nosso site são muito importantes para as LEITURAS DESCOMPLICADAS.
O uso das LEITTURAS DESCOMPLICADAS pressupõe a aceitação desta política de privacidade, reservando-se a equipa das LEITURAS DESCOMPLICADAS de alterar este acordo sem aviso prévio.
 

Quem somos?

O endereço do nosso site é https://www. leiturasdescomplicadas.pt. LEITURAS DESCOMPLICADAS é um blog literário dedicado à partilha de sugestões de leitura para miúdos e graúdos. Esta partilha ocorre através de artigos de opinião sobre livros, destaques de novidades editoriais, entrevistas a autores, clube e projectos de leitura, entre outras iniciativas.  

Dados recolhidos

Formulário de registo no website - quando um utilizador se regista em https://www.leiturasdescomplicadas.pt, seja pelo preenchimento de formulário ou através de login com a sua conta de Facebook, Google ou Linkedin, são recolhidos dados pessoais como nome, email, localização, entre outros. Formulários de contactos ou comentários - quando um utilizador preenche um formulário de contacto ou deixa um comentário no nosso site, são recolhidos os dados exibidos no formulário e também o endereço de IP do visitante. Passatempos - quando é realizado um passatempo é solicitado o preenchimento de um formulário com dados do utilizador, como nome, email, nomes de utilizador de redes sociais, localização, entre outros. Cookies - Os cookies são curtos ficheiros de texto com informações relevantes que o seu browser processa, quando um site é visitado por um utilizador. Utilizamos cookies para armazenar informação, tais como as suas preferências pessoais, quando visita o https://www.leiturasdescomplicadas.pt. A colocação de cookies ajuda o site a reconhecer o dispositivo (tablet, desktop, mobile, etc) do utilizador sempre que nos visita. Os cookies retêm apenas informação relacionada com as suas preferências, não revelando dados pessoais.
  • Quando deixa um comentário no nosso site, pode optar por guardar o seu nome, endereço de email e site nos cookies. Isto é para sua conveniência para não ter de preencher novamente os seus dados quando deixar outro comentário. Estes cookies durarão um ano.
  • Se visitar a página de início de sessão, será configurado um cookie temporário para determinar se o seu navegador aceita cookies. Este cookie não contém dados pessoais e será eliminado ao fechar o seu navegador.
  • Ao iniciar a sessão, serão configurados alguns cookies para guardar a sua informação de sessão e as suas escolhas de visualização de ecrã. Os cookies de início de sessão duram um ano. Se seleccionar "Lembrar-me", a sua sessão irá persistir durante duas semanas. Ao terminar a sessão, os cookies de inicio de sessão serão removidos.
Google Analytics - Usamos o Google Analytics para registrar informações sobre as páginas que um utilizador viu, por exemplo, o URL da página, a hora do dia, o dispositivo usado, etc. As informações que coletamos são anonimizadas e enviadas ao Google Analytics para análise. O Google Analytics usa principalmente cookies primários para informar sobre as interações dos visitantes neste site. Os utilizadores podem desativar os cookies ou excluir qualquer cookie individual. O Google Analytics também coleta endereços IP para fornecer e proteger a segurança do serviço e para dar aos proprietários de websites uma noção de que país, estado ou cidade do mundo os utilizadores são provenientes (também conhecido como “geolocalização por IP” ). Os dados do Google Analytics são retidos por 38 meses.
 

Porque está a receber emails nossos?

Ao registar-se no nosso website, preencher um dos formulários de contacto do website, participar num dos passatempos realizados no website, no Facebook (/leiturasdescomplicadas) ou no Instagram (@leiturasdescomplicadas), os dados fornecidos serão usados para comunicação da marca, via email.  

Ligações a sites de terceiros

O LEITURAS DESCOMPLICADAS possui ligações para outros sites, os quais, a nosso ver, podem conter informações / ferramentas úteis para os nossos visitantes. A nossa política de privacidade não é aplicada a sites de terceiros, pelo que, caso visite outro site a partir do nosso deverá ler a política de privacidade do mesmo. Não nos responsabilizamos pela política de privacidade ou conteúdo presente nesses mesmos sites.
 

Como utilizamos os seus dados?

Utilizamos os seus dados para:
  • Operar e manter o website
  • Fornecer informação e conteúdo de interesse para o utilizador
  • Melhorar o funcionamento do website, incluindo a gestão e priorização de conteúdos
  • Adicionar à nossa mailing list para comunicar produtos e/ou serviços relacionados com LEITURAS DESCOMPLICADAS ou enviar conteúdo útil relacionado com as temáticas abordadas no site
  • Fornecer suporte ou apoio ao utilizador
  • Entregar prémios aos vencedores de passatempos
  • Cumprir obrigações contratuais e legais
Em nenhum momento fornecemos os seus dados a empresas externas ou os utilizaremos para qualquer efeito que não os descriminados acima.
 

Por quanto tempo guardamos os seus dados?

Salvo raras exceções de tempo mais curto, como por exemplo o Google Analytics, os seus dados são mantidos indefinidamente.

Quer eliminar ou alterar os seus dados?

A qualquer momento poderá solicitar-nos que alteremos ou eliminemos os seus dados. Para isso basta enviar-nos um email para ola@leiturasdescomplicadas.pt.
Save settings
Cookies settings