Outras sugestões de leitura

“D. Manuel I. Duas irmãs para um rei”: Quatro lugares de Portugal que deves conhecer

d-manuel-i

Ler um romance histórico é viajar por lugares especiais e isso acontece em “D. Manuel I. Duas irmãs para um rei”. O novo livro de Isabel Stilwell leva-nos numa viagem pelo Portugal dos séculos XV e XVI. Como podes ter lido neste artigo, sou parceira oficial do lançamento deste livro pela Editorial Planeta. Tenho feito várias partilhas sobre a leitura no Instagram e espero que te possas juntar a mim no clube de leitura do livro no dia 23 de Junho. Para despertar ainda mais a curiosidade sobre este livro, hoje venho partilhar contigo um artigo muito especial.

Localidades como Moura, Setúbal ou Castelo de Vide assumem particular destaque na vida de D. Manuel. Locais que, se calhar, nem todos conhecemos de perto e que vale a pena conhecer melhor. Num ano em que é ainda mais importa irmos para fora cá dentro, porque não viajar através dos locais do livro “D. Manuel I. Duas irmãs para um rei”? Conhece, neste artigo, quatro locais de Portugal que deves visitar para tornar a leitura deste romance histórico ainda mais especial. Tens as malas prontas?!

 

D. Manuel I: As terçarias em Moura, Alentejo

A primeira parte do livro “D. Manuel I. Duas irmãs para um rei” é passado em Moura, no Alentejo. O Tratado das Terçarias de Moura era um tratado de paz assinado entre Portugal e Castela. Assentando num “depósito em poder de terceiro” (o significado de terçaria), este tratado assinalava o acordo de casamento entre D. Afonso, filho primogénito de D. João II, e D. Isabel, filha mais velha dos Reis Católicos de Castela e Aragão.  Foi em Moura, ao cuidado de D. Beatriz de Viseu, que cresceram D. Afonso, D. Isabel e D. Manuel (filho de D. Beatriz).

A cidade de Moura, na zona da raia alentejana pertencente ao distrito Beja, fica próxima da Barragem do Alqueva e tem pontos históricos de que vale a pena visitar. Locais como o Castelo de Moura, a Mouraria ou o Convento do Carmo esperam pela nossa visita. As Festas em Honra de Nossa Senhora do Carmo, em Julho, levam a esta cidade muitos visitantes e tornam a visita ainda mais atractiva. E, claro, não deixes de visitar os restaurantes típicos para experimentar as iguarias da comida alentejana como a sopa de cação ou o entrecosto frito com migas. Para ficar, sugiro o Hotel de Moura com certificado Clean&Safe.

 

D. Manuel I: A cidade de Évora para sempre na memória

Évora ficaria para sempre na memória de D. Manuel como o local da execução de D. Fernando II de Bragança. Acusado de conspiração contra o rei D. João II, o herdeiro da Casa de Bragança foi degolado e todos os bens confiscado para os cofres do reino. Esta capital de distrito, actualmente património da UNESCO, ficou sempre associada a importantes momentos da nossa história.

As atrações para visitar são imensas em Évora. Desde o Templo Romano de Diana à Sé, passando pelo Convento dos Lóios, Capela dos Ossos ou Palácio de D. Manuel, muitas são as oportunidades de viajar ao longo da história de Portugal nesta cidade. Claro que não podes deixar de aproveitar para uma refeição alentejana no Monte da Graciete (junto ao kart) e experimentar um bom vinho da Herdade da Cartuxa, mesmo às portas da cidade. Para ficar, espreita o Mar d’Ar Muralhas, um óptimo local para ficar de inverno ou verão.

 

D. Manuel I: Castelo de Vide, a chegada com o seu primeiro amor

Castelo de Vide, no Alto Alentejo, foi a cidade que viu chegar D. Isabel para o casamento com D. Manuel. Depois de ter ficado viúva pelo acidente que vitimou D. Afonso, herdeiro do trono de Portugal, regressa agora para se casar com o jovem louro com quem cresceu nas terçarias em Moura. Uma cidade que ficará para sempre na memória de D. Manuel pelo significado de ver chegar o seu primeiro amor.

Como muitas outras localidades alentejanas, Castelo de Vide tem a sua Judiaria e antiga Sinagoga à espera de serem descobertas por nós. Tem também o seu castelo medieval, os Paços do Concelho e a proximidade ao Parque Natural da Serra de São Mamede, o paraíso para todos os apaixonados pela natureza.

 

D. Manuel I: Setúbal e o único duque do reino

Setúbal fará sempre parte da história de vida de D. Manuel I. Foi aqui que soube que se tornava Duque de Beja, o único do reino, pelo assassinato de D. Diogo (seu primo) pelo seu tio D. João II. É também nesta cidade que a sua ama, Justa Rodrigues, fundou o Convento de Jesus, a primeira grande obra de arquitectura manuelina. Esta é uma cidade aberta para o mar, onde o património militar impera. Isso vê-se em locais como o Forte de São Filipe de Setúbal, Forte de Albarquel ou Muralhas de Setúbal.

Falar de Setúbal é falar de uma cidade de pescadores onde o choco é rei! É também falar de uma cidade com os olhos postos em Tróia, onde se pode chegar de ferry e muito mais existe para explorar. Ficar nesta cidade é visitar o Luna Esperança Centro Hotel ou o Hotel do Sado Business & Nature, ambos com certificado Clean&Safe.

 

 

Para além destes quatro locais, não deixes também de visitar os outros locais onde se passa a história de “D. Manuel I. Duas irmãs para um rei”. Locais como Almeirim, Alcácer do Sal, Sintra, Santarém ou Alcáçovas esperam pela tua visita e pelo teu apoio ao nosso turismo e gastronomia. E, claro, uma visita aos monumentos com estilo manuelino que podem ser encontrados em Lisboa é obrigatório. Conhecer toda a história do Mosteiro de Santa Maria de Belém, mais conhecido como Jerónimos, local onde estão sepultados D. Manuel I e D. Maria será essencial para compreender a grandiosidade da história de Manuel e da sua ligação ao mar.

Vamos conhecer melhor os locais da vida de D. Manuel I?

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *