Book blogging

Revisão científica: O outro lado dos livros

revisao-cientifica
Imagem Canva

Alguma vez ouviste o termo “revisão científica”? Quando lemos um livro, nem sempre pensamos no processo que atravessa até chegar às nossas mãos. Não é apenas um autor juntar uma palavras e umas frases e pronto! Requer muito mais trabalho de uma equipa dedicada a que o livro seja o melhor produto possível. E aí entram os revisores de diversas áreas. E, claro, se estivermos a falar sobre livros de ciências, surge a revisão científica.

Se pensarmos que as crianças constroem o seu gosto pela ciência desde cedo, importa que os livros que lêem sejam o mais exactos possível. Por exemplo, inventários de animais como os da Kalandraka ou sobre personalidades de ciência como Marie Curie, Stephen Hawking ou Charles Darwin têm de ser correctos na informação que transmitem. Já tive oportunidade de fazer revisão de publicações e é, sem dúvida, um trabalho muito enriquecedor. E quando descobri a Helena Santos e o seu projecto Revisora Científica achei que era óptima oportunidade de trazer o assunto para o blog. Convidei a Helena para te explicar tudo o que envolve a revisão científica e hoje partilho o primeiro artigo sobre assunto. Vamos então perceber melhor o que é a revisão científica?

 

Revisão científica: O que é?

revisao-cientifica
Imagem Canva

Quando abrimos um livro, muitas vezes não prestamos atenção à sua página de rosto ou à contracapa, onde está a informação editorial, os detalhes sobre a publicação e, por vezes, a revisão. Se repararmos, em vários livros encontrarão o nome da pessoa responsável pela “revisão”, mas apenas em alguns vemos a responsável pela “revisão científica”. Isto acontece porque, geralmente, a revisão é apenas baseada na correção de erros ortográficos e gramaticais e incoerências no texto da publicação. E num livro com conceitos científicos, será que apenas esta revisão é suficiente? Certamente que não, sendo necessária a revisão científica.

E como funciona o processo de revisão?

A revisão científica, de qualquer área, passa por verificar factos utilizando fontes fidedignas e actuais. A formação académica do revisor suporta este tipo de pesquisa bibliográfica, pois é necessário saber onde e como pesquisar e distinguir fontes de literatura fidedignas das duvidosas. A internet é uma ferramenta incrível, através da qual conseguimos encontrar fundamentação para a maior parte das correções. No entanto, quem trabalha em investigação sabe que, frequentemente, para fundamentarmos a informação científica é preciso ir procurar a certos livros que não se encontram disponíveis online. Existe uma grande quantidade de literatura académica, revista cientificamente, onde podemos verificar a correcta tradução e uso de termos científicos.

Igualmente, não posso deixar de mencionar a comunidade científica portuguesa, que sempre se disponibiliza aquando surgem dúvidas sobre certas espécies de animais ou plantas, ou sobre o uso de determinados termos científicos! O conjunto da pesquisa bibliográfica, com o conhecimento científico e o suporte de especialistas, é muito importante para garantir que a informação a publicar está correta e que, caso o leitor pretenda pesquisar um termo ou uma espécie, por exemplo, obtém os resultados adequados. Por fim, devemos verificar a origem da linguagem científica utilizada (português de Portugal versus português do Brasil) e pode ser realizada uma revisão dos termos científicos de forma a tentar sobrepor, sempre que possível, com o currículo escolar nacional.

Deixo uma nota final…

Muitas vezes, quando detectamos um erro, escolhemos ignorá-lo, considerá-lo insignificante e achar que as crianças, ou o público em geral, não precisam de informação tão detalhada ou complexa. Nunca devemos menosprezar o conhecimento científico, nem a capacidade de aprendizagem das pessoas. Por isso, contactem os responsáveis e ajudem a aumentar a literacia científica!

 

Revisão científica: E quem é a revisora científica Helena Santos?

 

Sou bióloga, mestre em Ecologia e Ambiente e doutorada na área da Biologia da Conservação, e também possuo certificação profissional em Inglês. Trabalhei na área da investigação, na Universidade do Porto, e na área da educação ambiental e científica, em organizações não governamentais de ambiente, durante vários anos, produzindo e contribuindo, ao mesmo tempo, para publicações não só científicas como educacionais. O trabalho de revisão científica de publicações infantojuvenis começou por ser uma colaboração com a minha mãe – professora e autora de manuais escolares de Ciências Naturais na Porto Editora há mais de 30 anos.

Actualmente, utilizo o meu background científico e académico e a minha experiência em criação de conteúdos e em educação ambiental, para realizar a revisão científica e a adaptação para a Língua Portuguesa de publicações. Por detrás, encontra-se a consultoria pedagógica da minha mãe, que verifica a concordância dos termos e conteúdos científicos com o referencial curricular atual, tornando os conteúdos relevantes no contexto escolar nacional. Actualmente, recebo trabalhos da divisão editorial infantojuvenil da Porto Editora, pioneira na exigência de revisão científica para as suas publicações. No entanto, gostaria de fazer chegar o meu trabalho a outras editoras portuguesas, de forma a aumentar a qualidade das publicações infantojuvenis em Portugal.

A página d’A Revisora Científica surgiu após ter partilhado alguns erros científicos encontrados em publicações nas quais trabalhei, na minha página pessoal nas redes sociais. A descoberta de inúmeras incorreções levou-me a concluir que seria relevante a partilha da necessidade e da importância de rever os conteúdos das publicações infantojuvenis. Várias pessoas têm demonstrado curiosidade pelas incorreções bem como pela explicação das mesmas. Outras enviam-me erros científicos que descobriram e, deste modo, a página vai crescendo.

revisao-cientifica

Obrigada, Helena, por este primeiro contributo para percebermos melhor o que é a revisão científica. Em breve, terei um outro artigo no blog dedicado a este tema, também com a participação da Helena. Nesse artigo, irás perceber melhor como funciona a revisão científica e ver alguns exemplos para perceber melhor o processo e o tipo de incorreções que podes encontrar.

3 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *